30 DE Setembro DE 2020

A noite de Halloween é considerada a noite “mais assustadora” do ano, embora seja cada vez mais uma desculpa para as pessoas se disfarçarem e sair com os amigos. A verdade é que, aquela que é considerada uma das noites mais assustadoras, pode mesmo acabar num verdadeiro filme de terror quando se dá uma combinação explosiva de álcool, clima sombrio e disfarces.

 

Durante anos foram muitos os pais, nos Estados Unidos, que proibiram os filhos de participarem no típico “trick or treat” de casa em casa, devido a um acontecimento ocorrido em 1974. No Texas, um pai deu ao seu próprio filho e a outras crianças da vizinhança rebuçados envenenados. O seu interior continha cianeto, que acabaria por matar o seu filho de oito anos, Timothy. Antes do acontecimento, o pai fez várias apólices de seguro de vida em nome de Timothy, de maneira a lucrar com a sua morte. O crime, cometido por Ronald O’Brian, foi descoberto e levou-o a ser condenado à morte. Ronald foi executado em 1984 e será sempre lembrado como o Candyman, o homem que matou com doces, no Halloween.

 

Yoshihiro Hattori, estudante de intercâmbio nos Estados Unidos, queria vivenciar o Halloween. Em 1992, o jovem japonês, disfarçado de John Travolta, foi até à casa que julgava ser o local da festa, no entanto, acabou por bater à porta errada. O dono da casa, Rodney Peairs não hesitou em disparar à queima-roupa sobre o rapaz de 16 anos, matando-o no mesmo momento. Segundo o homicida, este sentiu-se intimidado com o jovem e ignorou a sua ordem de “parar”, devido ao fraco inglês de Hattori. Devido ao desfecho do acontecimento foi gerado, mais uma vez, o debate sobre a posse de armas.

 

Outra tradição que surgiu nos Estados Unidos, e que se está a tornar cada vez mais frequente em vários países, é o lançamento de ovos. Durante esta noite de celebração, um grupo de adolescentes decidiu atirar ovos a casas e carros de estranhos em tom de brincadeira, no entanto, a mesma acabou por não correr bem para os jovens, quando Karl Jackson decidiu sair de um dos carros para repreender o ato. Um dos adolescentes, Curtis Sterling, de apenas 17 anos, fez uso da arma que tinha em sua posse e acabou por matar Karl ao tiro.

A noite de Halloween de 2004 em Napa, Califórnia, ficou marcada por uma mancha de sangue na casa de três amigas: Lauren Meanza, Adriane Isogna e Leslie Mazzara. Lauren, acordou de repente com os gritos de pânico de uma das suas colegas de quarto. Quando foi ao seu auxílio, percebeu que o marido de uma amiga em comum acabara de esfaquear Adriane e Leslie. Lauren conseguiu escapar e avisar a polícia do ocorrido, mas infelizmente as suas amigas não conseguiram resistir aos inúmeros ferimentos. Eric Copple, o homicida, nunca chegou a revelar o motivo do seu ato.

 

Nem todos os crimes ocorreram nos Estados Unidos, país onde o Halloween é feriado nacional. Há 11 anos em Ripollet, Barcelona, na noite de Halloween um rapaz de 14 anos assassinou María Dolores, por quem dizia estar apaixonado. Cego de rancor e ciúmes, cortou a garganta da jovem, num campo perto da casa da menor. O responsável do crime esteve preso apenas quatro anos.

También te puede interesar