7 DE Janeiro DE 2020

Certamente já terá ouvido falar do termo “Escada do Diabo”, quando se fala de assassinos em série. Sabe a que se refere?

 

A “Escada do Diabo” é um modelo matemático desenvolvido a partir do assassino em série ucraniano Andrei Chikatilo.

 

Dois investigadores da Universidade da Califórnia analisaram os 56 homicídios que cometeu ao longo de 12 anos para perceber qual foi o “gatilho” em cada um.

 

Depois de analisar os crimes um por um, os investigadores puderam concluir que cada homicídio coincidia com um surto psicótico, devido à activação simultânea de vários neurónios no cérebro. Quando um desses neurónios específicos se activa, ocorre o mesmo com outros, resultando num surto psicótico incontrolável, acompanhado pela necessidade de matar. Depois de saciado esse desejo de morte, os neurónios voltam à calma até um novo episódio. Daí que haja, geralmente, um período de calma entre um homicídio e outro.

 

Os investigadores sugerem que cada homicídio obedece à activação neurónica e que, ao cumprir os impulsos, o assassino sente um efeito de sedação, voltando assim a um estado de calma.

Estas activações dos neurónios são conhecidas como o “padrão de disparos”, semelhante ao que pode ter uma pessoa epiléptica.

Nem sempre cometia um homicídio quando os neurónios estavam em fase de excitação, já que muitas vezes os crimes eram planeados. Mas se essa excitação ocorresse na sequência de um período mais alargado de “calmaria”, em que Andrei Chikatilo não matava ninguém, era então seguido por homicídios mais violentos que o habitual.

También te puede interesar