31 DE octubre DE 2018

À primeira vista encantadores, amáveis, com boa relação com os demais… Mas com o tempo a situação muda e o líder revela a sua verdadeira personalidade, a sua raiva interior e a sua agressividade.

Uma seita não existiría sem o seu líder, aquele que estabelece as regras e obriga a cumpri-las. Segundo os especialistas em psicologia, têm características comuns, que são a chave do seu comportamento como falso guru. Uma das características que os une é o transtorno narcisista da personalidade. Precisam reconhecimento à sua volta, aceitação e idolatria. É o resultado de uma profunda insegurança em si mesmos, inferioridade e falta de aceitação.

 

CHAVES PARA RECONHECER UM FALSO GURU

 

  • Poder da palavra: identificar se a pessoa que se escuta, seja pessoalmente, numa conferência ou discurso, através da Internet ou qualquer outro meio, tem facilidade para falar e usar a palavra. Costumam ser extremamente encantadores e têm sempre algo a dizer.
  • Carisma: são cativantes por natureza e capazes de enganar quase todos através das suas palavras e gestos. Cuidam ao máximo a sua presença e a sua forma de estar. A sua roupa é normalmente bem escolhida e a sua forma de gesticular muito agradável. Conseguem persuadir através do seu carisma.
  • Aparente segurança: à primeira vista parecem pessoas extremamente seguras de si mesmas. Têm a sua própria visão e valorização da vida, da sociedade e de tudo o que os rodeia. Desta forma conseguem que as suas opiniões influenciem os outros, convertendo-se em crenças de fé.

 

ATRÁS DAS CÂMARAS

 

O líder de uma seita não é o que parece, nunca. Pelo menos em frente aos seus próprios seguidores. Por detrás da aparente segurança, a lábia e o carisma, encontramos uma pessoa com várias falhas psicopatas, totalmente narcisista e com falta de reconhecimento. Por esta razão, o seu objetivo é rodear-se de fanáticos que o sigam, aceitam as suas ideias (por muito descabidas que sejam) e sustentem as suas debilidades à base de afecto e admiração. Claro que isto se traduze em dinheiro e sexo, na maioria dos casos.

O falso guru não aceita um seguidor que discorde, aquele que questione o mais mínimo da sua doutrina, pelo que, ao encontrar alguém assim entre os seus seguidores, será autoritário e castigador. Irá puni-lo, evidenciá-lo diante dos outros e menosprezá-lo.

Além disto, como parte da sua autoridade, o líder intervem em todos e cada um dos detalhes que têm a ver com a seita. Em determinadas ocasiões é ele o responsável, e outras vezes delega outra pessoa de confiança que faça cumprir, sem crítica, as suas regras e o seguimento estrito da sua doutrina.

Há muitos exemplos de líderes de seitas que exerceram um grande poder sobre os seus seguidores e que cumprem estritamente as descrições anteriores. Consgeuiram atrair massas e convenceram muita gente de que tinham um conhecimento e um poder excecional. Estes são 3 dos exemplos mais célebres:

  • Bhagwan Shree Rajneesh (Osho)
  • Keith Raniere
  • Warren Jeffs

 

No Crime + Investigation preparámos uma programação especial: Crenças Perigosas. Terás a oportunidade de conhecer em primeira mão as vítimas e os líderes que fizeram parte de algumas das organizações mais controversas e fascinantes que operam hoje em dia.

Não percas a partir de dia 18 de Novembro, às 21h00.

Tag:

También te puede interesar