29 DE Julho DE 2019

No Verão há, seguramente, muitas pessoas que planeiam escapadelas e viagens para conhecer outras partes do mundo. Mas não basta planear as rotas turísticas, os museus ou em que sítios comer e dormir. É recomendável que se verifiquem as leis do país a visitar.

 

As leis de cada país podem ser difíceis de entender, podem não ter explicação ou ser simplesmente “estranhas”. Mas como o desconhecimento das leis não iliba as pessoas do seu cumprimento, isto aplica-se a outros países.

 

Se for mulher e lhe apetecer cruzar o oceano para visitar a costa da Flórida, existe por lá uma lei (que não sabemos se é aplicada à risca) que diz que as mulheres não podem saltar de pára-quedas aos Domingos, sob pena de prisão. Não sabemos em que século esta lei foi instaurada, mas ela existe. Por isso, se é fã de emoções fortes, informe-se antes do que pode acontecer.

 

Sem sair do continente americano, em El Salvador há uma lei segundo a qual os condutores ébrios podem ser condenados à morte perante um pelotão de fuzilamento. Por isso, se for sair para beber algo à noite, utilize transportes públicos, táxis e assegure-se de que o que bebe não tem álcool.

 

Todos sabemos que urinar na rua, na grande maioria dos países Europeus, dá direito a multa. Mas há uma excepção: no Reino Unido as mulheres grávidas podem urinar onde quiserem se a necessidade apertar. Não é que vos encorajemos a fazê-lo, apenas simplesmente para que estejam a par.

 

Talvez um dos destinos com as leis mais duras seja Singapura, pelo que nunca é demais extremar os cuidados. Se decidir viajar para este pequeno país, que não lhe ocorra comer (nem muito menos vender) pastilha elástica. Da mesma forma, é proibido atirar lixo para o chão e tanto faz que seja um lenço ou uma embalagem pequena. Se não colocar o lixo nos locais próprios para o efeito pode ser-lhe aplicada uma multa de 2000$. Se reincidir, poderá passar uma temporada a varrer as ruas para tomar consciência. Cuspir também é penalizado e esta lei foi instaurada devido à imigração chinesa. Os chineses têm por costume cuspir na rua e, tendo em conta que os chineses são o grupo maioritário de imigrantes em Singapura, decidiram implementar esta lei.

 

Talvez fume cigarro electrónico e o use de forma habitual pela rua. Se está a pensar fazê-lo na Tailândia, saiba que o seu uso é proibido (à semelhança do tabaco). Há cinco anos que o “vaping” é ilegal e se for apanhado pode ser obrigado a pagar uma multa avultada ou enfrentar pena de prisão. Assim, se for fumador, para visitar a Tailândia é melhor que deixe de sê-lo. Da mesma forma, o consumo de pastilhas elásticas está totalmente proibido, com multas até 1500$, se o virem a comer uma, e de 80.000$ (incluindo pena de prisão) se decidir importá-las. Se for homossexual ou se gosta de beijar o seu parceiro de forma apaixonada em público, talvez seja melhor deixá-lo para a intimidade do hotel, já que pode ser considerado um delito que leva à prisão perpétua ou até três meses de prisão, respectivamente.

 

Em países como a Birmânia ou o Sri Lança é proibido usar a imagem de Buda como elemento decorativo. Isto inclui tatuagens, por isso, se tiver uma com a sua imagem, mais vale escondê-la.

Em 2014 um turista foi detido e deportado por ter uma tatuagem de Buda e em 2017 um turista espanhol quase teve a mesma sorte.

 

Outro destino onde as tatuagens são um tema controverso é o Japão. Se tem em mente visitar as suas famosas águas termais (onsen), saiba que é proibido o acesso a qualquer pessoa que tenha tatuagens visíveis. Da mesma forma, esta regra aplica-se a ginásios e piscinas públicas. Ainda que as tatuagens sejam algo muito habitual hoje em dia, no Japão continua a associar-se algumas tatuagens à máfia japonesa (Yakuza). Se quiser evitar algum desagrado, verifique previamente se pode entrar num onsen ou numa piscina.

 

Se quer saber o que lhe pode ocorrer caso cometa algum delito no estrangeiro, não perca a série Férias na Prisão, Quartas à noite!

También te puede interesar