2 DE Dezembro DE 2019

Nos anos 80, na Coreia do Sul, um serial killer assustou todo o país. Entre 1986 e 1991, 10 mulheres (entre os 16 e os 70 anos) foram violadas, estranguladas e assassinadas na cidade de Hwaseong, a 40 km de Seul, apresentando o mesmo modus operandi.

A polícia implantou a maior operação na História para encontrar o culpado. A lista de suspeitos ultrapassou as 21.000 pessoas, com milhares de horas de entrevistas e milhões investidos para encontrar o serial killer. Apesar de todos os crimes terem prescrito em 2006, este ano a polícia encontrou um suspeito que estaria relacionado a, pelo menos, três dos assassinatos. Chama-se Lee Chun-Jae, condenado à prisão perpétua pelo assassinato e violação da sua cunhada em 1994 e cumpre pena na cidade de Busan. A descoberta foi feita ao testar novamente o ADN das roupas das vítimas que, depois do cruzamento com o ADN do réu, deu origem a um resultado positivo. Mesmo tendo encontrado o autor, a polícia acredita que há mais envolvidos e continuará a investigação para tentar esclarecer os crimes, mesmo sabendo que não poderá condenar ninguém.

 

Tal foi o alvoroço provocado pelos crimes, que inspiraram a produção “Crónica de um Assassino em Série” de 2003, bem como a peça com o mesmo nome.

También te puede interesar