3 DE Junho DE 2019

Em Julho de 1973, John Paul Getty III, neto do multimilionário magnata do petróleo John Paul Getty, foi sequestrado pela mafia calabresa em Roma. Ao início, todos pensaram que se tratava de uma piada do jovem Paul, mas percebeu-se pouco depois que a ‘Ndrangheta estava por detrás do desaparecimento.

John Paul Getty III, filho de John Paul Getty II e da actriz Gail Harris, vivia na capital italiana com a sua mãe. Sempre envolvido em escândalos de drogas e álcool, o jovem era conhecido como “hippie de ouro” pelas ruas da cidade eterna.

Não era estranho que ele não passasse por sua casa, por isso, ninguém ficou alarmado quando não ouviu falar dele na noite em que desapareceu. Além disso, houve muitos que alegaram que, em mais de uma ocasião, ele tinha planeado fingir o seu próprio sequestro.

Rapidamente se ficou a saber que tinha sido sequestrado e que o seu paradeiro era desconhecido, embora muitos não o levassem a sério. Pensava-se que estava a fingir.

Os jornais italianos da época rapidamente repetiram a notícia. No entanto, até mesmo eles semearam a dúvida sobre a veracidade do sequestro e não foram os únicos: a polícia também teve as suas dúvidas.

JOHN PAUL GETTY: “Não vou pagar”

Logo após o telefonema que Gail Harris recebeu dos raptores do seu filho em meados de Julho de 73, o preço do seu resgate foi fixo: cerca de 3 milhões e meio de dólares, na época.

Nem a sua mãe nem o seu pai tinham essa quantia, mas havia alguém na sua família que tinha: o seu avô, o magnata do petróleo John Paul Getty. A sua fortuna foi estimada em cerca de dois mil milhões de dólares o que fazia dele um dos homens mais ricos do mundo.

Os pais do jovem, divorciados, reuniram-se em Londres para pedir o dinheiro do resgate a Getty. Uma vez lá, ele disse que não ia pagar. “Eu tenho 14 netos. Se eu pagar o resgate, vou ter 14 netos sequestrados”, foram as suas palavras.

UMA ORELHA E UMA MADEIXA DE CABELO

Depois da recusa em pagar pelo resgate do seu neto, comunicaram com os raptores da ‘Ndrangheta, um clã da máfia calabresa. Em resposta, cortaram uma orelha do jovem herdeiro. Não satisfeitos, enviaram ainda uma mecha de cabelo ao jornal italiano Il Messaggero para lançar a notícia e obter o dinheiro que pediam. Na caixa incluíram uma nota:

“Somos os raptores de Paul Getty III e, como avisámos há 20 dias, enviamos uma orelha do rapaz. Como podem ver, estamos a falar a sério. Fiquem a saber que, se em dez dias não nos tiverem pago, enviaremos a outra orelha e, depois, outras partes do corpo.”

Perante a ameaça, o patriarca concordou em pagar o resgate. Emprestou o dinheiro ao seu filho, com 4% de juros e deserdou-o, tanto a ele como ao seu neto.

John Paul Getty III foi libertado em Dezembro de 1973 perto de Salerno, após cinco meses em cativeiro.

DESFECHO TRÁGICO

Os meios de comunicação italianos asseguraram que o pai do jovem sequestrado jurara vingança. Tanto é que existe mesmo quem se atreva a dizer que esteve envolvido no assassinato do chefe da ‘Ndrangheta, Domenico Tripodo, que aconteceu na prisão, em 1976.

Depois de ser libertado, John Paul Getty III mudou-se para Nova Iorque, onde continuou com uma vida de selvajaria. Em 1981, como resultado de uma overdose de metadona e tranquilizantes, John Paul Getty III sofreu uma paralisia cerebral que o deixou numa cadeira de rodas e sem falar. Morreu em 2011 aos 54 anos.

También te puede interesar